• Imagem de cabeçalho do site do mestrado em estudos linguisticos

Entre Amélias e Amálias; a representação discursiva das mulheres

Entre Amélias e Amálias; a representação discursiva das mulheres: corpo, lar, trabalho e casamento nas revistas da década de 50

RESUMO:
O referido projeto objetiva analisar o modo como se dá a construção discursiva da mulher na década de 50, a partir da análise de revistas que circulavam na época. Pautando-se nos princípios teóricos e metodológicos da Análise de Discurso de vertente pecheutiana, pretende-se observar como ocorre a discursivização da mulher, tendo como base a representação do corpo, a relação da mesma com o trabalho, com a esfera doméstica e com o casamento, baseando-se também na análise dos lugares sociais/ discursivos a ela imputados. Tendo como base a ideia de que não existe realidade fora do discurso e a noção de que os sujeitos são moldados discursivamente, é que se pretende investigar como os sentidos de mulher e feminilidade circulam nas revistas Jornal das Moças e o Cruzeiro, periódicos da década de 50, a partir do imbricamento entre língua, ideologia e história. Uma vez que a exterioridade é constitutiva do discurso, pretende-se debater o fato de que os sentidos sobre a mulher e feminilidade são moldados a partir do funcionamento ideológico que normaliza os sentidos sobre o feminino, colocando a mulher em condição de natural fragilidade e, conseqüente submissão ao homem. Dessa forma, pretende-se observar o modo como a ideologia dominante sobre a feminilidade na época naturalizava os discursos de submissão feminina, na esfera doméstica e no casamento, na construção do corpo feminino, e no âmbito do trabalho. Os resultados apontam para uma construção discursiva que colocava a mulher no lugar a ela reservado ?naturalmente?: a esfera doméstica, esfera privada do lar. Quando apontada como apta a exercer algum trabalho, o mesmo logo era representado como a extensão da esfera doméstica, sendo apenas algumas das funções adequadas para as mulheres da época. Assim, os sentidos de feminilidade no período abordado se diferenciam dos sentidos de feminilidade que circulam atualmente, uma vez que, nos dias de hoje, há elementos de formações discursivas e ideológicas diversas que já reivindicam um outro lugar para a mulher na sociedade, apesar de não haver ainda a igualdade nas relações de gênero. O projeto foi contemplado com financiamento da FAPESB, no edital 5614/2015.

Pesquisador:
Palmira Virgínia Bahia Heine Alvarez
pavibheine@gmail.com
Recomendar esta página via e-mail: